O que é SAC 2.0?

  • setembro 18, 2017
  • Blog

 

A forma de fazer marketing e comunicação tem mudado muito, bem como, a forma como as pessoas compram e se relacionam com as marcas. E claro, que o inverso é muito verdadeiro. A forma como as marcas se relacionam com seus stakeholders, também. Exemplo disso é o SAC 2.0, vai muito além de apenas destinar um serviço de telefonia para tratar das demandas do consumidor, como resolução de problemas e ouvidoria.

O papel do SAC 2.0 é utilizar canais digitais para prestar atendimento aos clientes. É utilizar, por exemplo, redes sociais, mas não se limitar somente a elas. Páginas específicas, landing pages, hot sites e até mesmo o serviço de e-mail. O SAC 2.0 está relacionado com o monitoramento das reações dos clientes e consumidores e dando feedback o mais rápido possível. Aí mora uma grande uma grande diferença entre o modelo tradicional de Serviço de Atendimento ao Consumidor e o SAC 2.0: o modelo tradicional, muitas vezes não aguenta a demanda de atendimentos que possui, o que acaba sempre gerando descontentamento do cliente com a marca.

No 2.0, o feedback é sempre muito mais rápido. Dependendo da abrangência dos serviços da organização – se for mundial ou nacional, por exemplo –, as demandas são resolvidas ou encaminhas para os setores responsáveis no mesmo dia ou em um prazo de até 48h.

SAC 2.0 X Redes Sociais

Twitter e Facebook são dois exemplos de sucesso em que o SAC 2.0 funciona muito bem. O fato é que estas redes possuem ambientes super bem preparados para receber contato de clientes e conforme o tempo passa, ganham mais funcionalidades para otimizar esse processo.

Não se esqueça do conteúdo

Lembre-se que redes sociais não são plataformas destinadas originalmente para o atendimento ao consumidor. Algumas empresas se afobam com a novidade e acabam utilizando suas redes para resolução das demandas de clientes, mas, calma lá, é preciso entender o processo. Redes sociais continuam tendo a sua função na sociedade, que é estreitar o relacionamento das pessoas, seja entre indivíduos ou entre marcas e stakeholders. Não caia no desacerto de ter sua página como um canal “resolvedor” de problemas. Não é para isso que ela serve.”

Compartilhe nas redes sociais